Vivo em um País
Corrupto e sujo,
Cercado de gente,
Que fecha os olhos
Para o futuro,
E só enxerga,
O próprio umbigo
No momento.

Vivo em um País,
Degenerado de honestidade,
Depredado de gente,
Que finge acreditar,
No retorno da ingratidão,
E não consegue notar,
A notória escravidão.

Vivo em um País,
Perdido e desprecavido,
De gente e obrigação,
Sorriem para desgraça,
Enquanto é do vizinho,
Vota sem saber,
Que o culpado da violência,
É o eleito descabido.

Anúncios