E porque não João e Maria?

“Triste fim”
Disse Assis,
Enquanto passava,
Ao lado de Maria,
Que derramada no chão,
Aos prantos de um mar,
Mostrava o coração,
Despedaçado ao léu,
Depois de ver João,
Derretido pelo sol,
Que brilhava todo dia,
No seu olhar desamparado,
Nele o calor,
Que na terra não tinha,
Via lá um semblante,
Que no homem,
Nunca encontrou,
Sabia do seu tamanho,
E nada seria maior,
Achava que lá seria o Rei,

O Rei de Penélope,
Ou o mártir de Cleópatra,
Então o Deus de Madalena,
Mas, aqui não tinha,
Mais o seu espaço,
Nem mesmo o seu pudor,
Disse então a Maria,
Que daqui partiria,
Como, ainda não sabia,
Mas, aqui não mais cabia,

Até hoje,
Ninguém sabe,
Por onde foi João,
Mas, como Jorge na lua,
Vive João no Sol,
E a chorar Maria…

Anúncios