Cada dia o que levo,

É a infeliz Indignação,

De ver um povo falso,

Que prolifera por todo lado,

Acreditar que seria melhor.

E sente o tombo da decepção,

 

Palavras se perdem,

Acusações espalham,

Indiferenças aumentam,

Turbulências ganham força,

Sentimentos são esquecidos,

E realidade tristemente vivida,

 

Esse é um mundo fechado,

Com medo de um futuro aberto,

Não tem caráter, nem posição,

Só um muro de ilusão,

Do podre, sujo e selvagem…

Anúncios