Comecei ouvindo Lanterna, e terminei em “é isso aí”… Acho que fez bem, melhorou um pouco, apaziguou o final, ou será que complicou o meio?

 

Porque interrompemos,

O que estávamos começando,

Dois corpos se encontrando,

E o tempo desfalecendo,

Aquilo que estava nascendo…

 

Parece que não terminamos,

Aliás, muito menos iniciamos,

Resta o carvão do fogo,

Que incendiava o coração,

E perdia o tempo em ilusão…

 

Hoje aparece o escuro,

E uma leve confusão,

Daquilo que inventamos,

Por um tempo longo, mas, curto,

Encontros breves, e incansáveis,

 

Já o destino no momento,

Parece que esquecido,

Tentando esconder a verdade,

Aquela vontade de saber,

O que realmente podia acontecer…

 

Anúncios