Sem perguntas, ouvindo a Calcanhoto, uma parte me levou a isso… ”Você não tem medo de mim, você tem medo é de amar…”. Insisto em dizer que é mal de poeta, tudo nos inspira…
 
Você perdeu,
Uma mulher que te amava,
Que te dava o céu,
Cantava musicas românticas,
Fazia a noite ser eterna,
Tornava-te um rei,
Não cansava de esperar,
Mas o tempo, há o tempo,
Ele desgasta a esperança,
Os momentos,
Esses vão se distanciando,
Acabando com as emoções,
E só deixando uma lembrança,
Que mesmo boas,
Acabam difíceis,
Os sinais se escondem,
E quando uma luz aparece,
A vontade se desprende,
E diz não a situação,
Sou louca, ou fui louca,
Não procuro entender,
Isso foi à conseqüência,
De não ter medo,
E muito menos,
Me arrepender,
Um dia aprenderá,
Que o amor, esse bendito,
Não que termine,
Mas, cresce, muda,
E toma novos caminhos,
Conosco isso aconteceu,
Seguiu outros rumos,
Onde você não conheceu…

Anúncios