“O que resta de mim a sós em frente ao mar?…”
 
Uma pena não ser de ferro,
Ter um coração diluído da esperança,
E as chances de um amor perdido,
 
Dei toda a minha compreensão,
Mostrei o amar na razão,
E as emoções dos instantes,
 
Mas, o complexo do entender,
Aquele inexplicável sentido,
Do tempo passando em silencio,
E o mundo despencando a paixão…
 
O disparo cardíaco com um sinal,
E o medo da realidade na mente,
Para que expectativa da ilusão,
Se nada ira acontecer…
 

Anúncios