“Os poetas odeiam o ódio e fazem guerra à guerra.” Pablo Neruda
 
Ah, fútil hipocrisia,
Que cresce a cada dia,
Carregando em si,
O óbito da alegria.
 
Martiriza a mediocridade,
E faz do humano,
Um solitário perdido,
Por ilusões inértidas,
 
Fazem da vida,
A ilusão imaginária,
Uma solidão intima,
De um egoísmo elevado!
 
Esses são os passos,
Da difícil realidade,
Pois, ainda não repararam,
Que precisam acordar…

Anúncios