Fico admirada de como “viajo” nos pensamentos… deve ser “mal de poeta”… Não sei nem onde estava…“Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel…”
 
Voa imaginação,
Em um infinito inexistente,
Mas, tão cheio de emoção!
 
Um momento eterno,
Jamais vivido,
E sempre esquecido!
 
Vai tão longe à ilusão,
O delírio fértil da vida,
Que busca um horizonte,
 
E mesmo distante da realidade,
Faz o tudo imaginário,
Virar alguns instantes de vivido,
 
Ah doces pensamentos,
Não se contentam com pouco,
E sobrevivem eternamente…
 

Anúncios