Andei com essa… “Por onde andará Stephen Fry. Por onde andará … Stephen, Ninguém sabe do seu paradeiro, Ninguém sabe para onde ele foi, prá onde ele vai…” Essa me lembrou a esperança…que anda sem paradeiro, e com analise, acho que ele (Stephen existe!) perdeu ela, ela perdeu ele e a verdade nem nós imaginamos por onde eles andam…
 
Um novo dia,
Sempre é um começo de esperança,
Mas, onde ela anda,
Que pelos momentos corridos,
Não sinto sua presença?
 
A cada instante,
Uma agonia,
Em cada minuto,
Um desespero…
 
Estaria ela perdida,
Sem rumo e sem saída,
Ou como eu desiludida,
Com o cru e ralo de cada dia?
 
Mais ainda, digo e sinto,
Os instantes de uma vida,
Em desprezo com o léu prazer,
De se achar importante no caminho,
E não ser nem uma esquina de bordel…
 

Anúncios