Vamos lá Ney e Chico! Somos todos os “perdidos” do Querubim…
 
Sou um X às avessas,
Navegando perdido na terra,
 
A cada dia uma lembrança,
De um nada nessa vida!
 
Um mundo pobre e de cobrança,
Que faz derreter a esperança!
 
Por entre becos sem saída,
De caminhos escurecidos,
 
Diríeis, eu mais um rico aventureiro,
Afirmaria um pobre marreteiro!
 
Mas, ainda trafego por entre encalços,
Mesmo que com tudo, ainda esteja descalço,
 
E não guardo as asperezas dos momentos,
Porém reforço as alegrias dos segundos…
 

Anúncios