Gregório, mais uma, semana atribulada, positiva, tumultuada, mas, não esqueci de você…
 
“Eita” mundo destrinchado,
Entre passos e descompassos,
Regado do brio da inveja,
Investigando a danada bonança!
 
Por onde passa, deixa o conflito,
Febril, doente e satírico,
Causando o terror da divindade,
De se ganhar sem trabalhar…
 
E do outro lado, restamos nós,
Os trabalhadores da última hora,
Bem, fica mais para um talvez,
 
Pois cada vez, mais difícil é,
Um complexo que sempre aumenta,
Só restando o febril arder de mais um dia…

Anúncios