EPA!
Por que rua eu vou?
São todas sem esquina,
Beco ou quarteirão,
Que bairro é esse,
Já que fujo da ilusão!
A cada metro uma lombada,
E em seguida um farol de parada,
Por mais que sigo,
Não termina,
O roteiro da solidão!
 
Melhor voltar para a Ilusão,
Lá encontrava esquinas,
De esperanças mentidas,
Quarteirões de paixões,
Ainda que não resolvidas,
E becos sem fim,
De sonhos inacabados,
Não tinha faróis,
Parando vontades imaginarias,
E muito menos lombadas,
Freando chances esperadas…

Anúncios