Como Vovó já me dizia quem não tem colírio usa óculo escuro…

Olhos fechados,
Nada vejo na verdade,
Por onde anda a esperança,
Que não me cabe na lembrança!

O que restou de um passado,
A interrogação do inacabado,
E uma sutil exclamação,
De tamanha indignação.

Hoje fico só,
O escuro e a solidão,
Na memória, o frio da recordação!

Tento apagar o tempo,
Fugir do momento, e nada mais resta,
A não ser continuar com os olhos fechados…

Anúncios