Sou mesmo um ET nesse mundo tão carente e selvagem….Carente de verdade, e selvagem de tamanha imaturidade….

Perco-me na imensidão,
São ruas e avenidas,
Tão perdidas no beco da ilusão,

O que faço nesse mundo,
Uma questão pura, mas difícil,
Com tamanha confusão!

Uma vida carente,
De tanta selvageria.
Mesmo, às vezes, inocente,

Resta a esperança,
Que não encaixa nos endereços,
E não entende saída, pela porta de entrada… 

Anúncios