Como Pessoa sempre disse, todo poeta é um fingidor…

Sou mulher na mente,
E uma criança no coração,
Que sonha eternamente,
A alegria de uma paixão.

Bate o repentino,
Ao longe a imensidão,
Dois destinos diferentes,
Cruzando pela compreensão.
 
O que restará de tudo isso,
Só os dias dirão,
Talvez o amor fortaleça,
Ou a amizade que permaneça.

Anúncios